A participação no Projeto Erasmus + é importante para enfrentar as mudanças globais e os desafios que a sociedade enfrenta, dotando os participantes de ferramentas que promovem a inclusão e a justiça social, capacitando as crianças e os jovens para uma participação ativa e interventiva na sociedade.

A conceção do VOAR resulta do envolvimento da comunidade educativa na sinalização de áreas de melhoria nomeadamente, novos métodos e ferramentas de ensino, competências linguísticas, na necessidade de colher metodologias promotoras da criatividade, autonomia, responsabilidade, pensamento crítico, intervenção cívica, resolução de problemas e tomada de decisões. As condições gerais para a realização de mobilidades assumem os seguintes objetivos: Aprofundar o conhecimento da língua inglesa; Dotar os docentes de competências com vista à melhoria da qualidade do processo de ensino num objetivo comum de renovação e mudança de práticas, metodologias e técnicas; Aumentar o sucesso educativo e reduzir o abandono escolar, a médio e longo prazo, através da aposta numa pedagogia diferenciada que privilegie a formação integral do aluno e a literacia crítica; Colher metodologias de ensino com vista ao aperfeiçoamento da intervenção educativa dos alunos com necessidades de inclusão; Disseminar metodologias promotoras da criatividade, autonomia, responsabilidade, pensamento crítico, intervenção cívica, resolução de problemas e tomada de decisões; Aumentar a participação dos alunos nas atividades escolares e comunitárias; Melhorar a organização interna e a ação das estruturas; Melhorar o ambiente educativo; Proporcionar formação aos nossos colaboradores; Aumentar as parcerias, em particular as internacionais. O VOAR irá envolver diretamente 15% dos colaboradores em Job Shadowing, Cursos de Formação estruturados e Missão de ensino.

 

No âmbito da candidatura ao Projeto Erasmus+, intitulado VOAR, considerou-se importante definir critérios de Seleção dos participantes como sendo uma ação importante, estando conscientes que as pessoas deverão possuir um perfil dinâmico, comunicativo e com competência para difundir práticas e metodologias dentro e fora do nosso Agrupamento. 
Serão critérios de seleção:

a) a motivação do candidato e alcance do impacto da atividade para a instituição; 

b) compromisso expresso de participação em atividades de preparação, reconhecimento e disseminação; 

c) exercício de cargos de gestão de topo e/ou intermédia; 

d) lecionação de disciplinas das áreas com menos sucesso educativo; 

e) integração de tecnologias de comunicação e informação na sua prática letiva; 

f) domínio da língua do curso. 

 

Em casos equivalentes, será dada prioridade a docentes que nunca tenham beneficiado de bolsas de formação deste tipo e daremos preferência aos formadores certificados pelo Conselho Científico Pedagógico da Formação Contínua. Será igualmente importante que se preveja que os participantes nas mobilidades se mantenham no AEGCC pelo prazo de pelo menos 4 anos, a fim de assegurar uma aplicação e difusão consistente do Projeto. Mediante o perfil supramencionado caberá a cada uma das estruturas abaixo identificadas indicar o representante para cada mobilidade, de modo a assegurar o reconhecimento dos pares. Em termos específicos para procedermos à seleção dos participantes para cada uma das atividades iremos ter em atenção o seguinte: 

Curso estruturado em CLIL proporcionado pela Europass Teacher Academy (Dublin)

  • Representante da Coordenação do Projeto Representante do Departamento de Línguas 
  • Representante do Departamento de Matemática e Ciências Experimentais 
  • Representante de Ciências Sociais e Humanas 

Curso estruturado Open School for Open Societies dinamizado pela Ellinogermaniki Agogi (EA), (Grécia) 

  • Representante da Coordenação do Projeto 
  • Representante do Departamento do 1º CEB 
  • Representante do Departamento de Matemática e Ciências Experimentais 
  • Representante do Departamento de Expressões 

O Curso estruturado Designing Inclusive Educational Environments, proporcionado pela EUROPASS Teacher Academy, (Florença) 

  • Um representante da Educação Especial 
  • Representante do ensino pré-escolar Representante do 1 CEB 
  • Representante do 2º e 3º CEB 
  • Um Assistente operacional 

Curso estruturado na área de "Problem Solving and Decision Making", (Prague, República Checa)

  • Representante da Direção do Agrupamento 
  • Um elemento do Conselho Pedagógico
  • Um elemento do Conselho Geral 
  • Coordenador dos Assistentes Operacionais 
  • Coordenador dos Assistentes Técnicos 

Job Shadowing no Grotius College (Delft, Holanda) 

  • Representante da Coordenação do Projeto 
  • Representante do Departamento de Línguas 
  • Representante do Departamento de Matemática e Ciências Experimentais 
  • Representante do Departamento de Ciências Sociais e Humanas 

Missão de ensino “Drama in the classroom”, no Colégio Camp de Turia (Valência) 

  • 2 Docentes que dinamizam o Clube de Teatro 
  • 1 Técnico da Autarquia que colabora com o AEGCC na dinamização do Clube de Teatro. 

Caso não exista concordância na seleção dos candidatos dentro de cada uma das estruturas identificadas caberá ao Núcleo do Projeto indicar o participante, após análise do perfil dos opositores.

 

oal4

OQ

A Equipa de Monitorização e Autoavaliação (designada por Observatório da Qualidade) desenvolveu o trabalho de autoavaliação do Agrupamento, através de uma base de dados quantitativos e qualitativos, relativos ao ano letivo 2019/ 2020, que permitiram aferir boas práticas, oportunidades de melhoria e formas de otimizar os desempenhos nos processos de Serviço educativo e de Liderança e Gestão. 

O Relatório que se anexa é o resultado deste exercício coletivo de diálogo, análise, avaliação dos processos e dos produtos e confronto de perspetivas, consubstanciando um olhar crítico sobre as dinâmicas do Agrupamento.

Agradecemos o contributo dos Alunos, Pais e Encarregados de Educação, Técnicos Superiores, Assistentes Técnicos, Assistentes Operacionais, Professores e Direção, em todas as fases de desenvolvimento deste processo reflexivo, que contribui para a tomada de decisões fundamentadas e para a melhoria contínua dos processos educativos e do sucesso escolar.

A Todos, em nome da Equipa do Observatório da Qualidade, um grande Bem-haja! 

 

 

ProjetoEducativo Final

Equipa do Observatório da Qualidade (OQ)

De acordo com o  Decreto-lei 137/2012, de 02 de julho,  que aprova o regime de autonomia, administração e gestão dos estabelecimentos públicos da educação pré-escolar e dos ensinos básico e secundário,  o  Relatório de Autoavaliação é,

o documento que procede à identificação do grau de concretização dos objetivos fixados no projeto educativo, à avaliação das atividades realizadas pelo agrupamento de escolas ou escola não agrupada e da sua organização e gestão, designadamente no que diz respeito aos resultados escolares e à prestação do serviço educativo.”

O processo de Autoavaliação do Agrupamento de Escolas Dr. Guilherme Correia de Carvalho (AEDrGCC) resulta, para além do imperativo legal, da necessidade de criar e/ou consolidar uma consciência crítica, esclarecida e interventiva, que promova uma cultura de qualidade, exigência e responsabilidade e incentive ações e processos de melhoria continuada.

A constituição da Equipa do Observatório da Qualidade (OQ) visa, assim, dar resposta aos objetivos estratégico do PE, nomeadamente, “assegurar que a autoavaliação provoca processos de mudança interna a nível organizacional, desenvolvimento curricular, ensino e aprendizagem e formação contínua.”

 

São metas da equipa do OQ:

  • Elaborar, pelo menos, 1 instrumento de avaliação da satisfação dos docentes, não docentes, pais e alunos, até julho de cada ano letivo;
  • Elaborar um Relatório de Autoavaliação Final, no termo de cada ano letivo;
  • Reunir semestralmente para refletir sobre os resultados da autoavaliação (com incidência no desenvolvimento curricular, educação inclusiva e ensino e aprendizagem) e produzir planos de melhoria;
  • Monitorizar e avaliar, anualmente, os planos de melhoria;
  • Criar, até fevereiro de 2020, um espaço na web para comunicar, semestralmente, os resultados da Autoavaliação.

 

Equipa do Observatório da Qualidade

Elemento

Estrutura representada

Ana Maria Fernandes

Direção

Antonieta Nunes

Coordenadora 1º CEB

Fernanda Pádua

CDPA

Filomena Cabral

Pré-escolar

Isabel Cristina Albuquerque

Bibliotecas Escolares

José Manuel Coutinho

Assistentes Técnicos

Luís Araújo Santos

Associação de Pais

Teresa Diogo

Assistentes Operacionais

Teresa Fernando

Educação Especial

Teresa Figueiredo

Educação para a Cidadania

Vitor Ferreira

Coordenador 2º e 3º CEB

JOAQUIM GUILHERME MARTINS CORREIA DE CARVALHO

“Nasceu em Seia a 29 de janeiro de 1922.

DR GCC     

Era filho de Joaquim Augusto Correia de Carvalho e da Sr.ª D. Deolinda Augusta Martins Correia de Carvalho.

Fez a instrução primária na sua terra natal e o liceu em Oliveira do Hospital, que terminou em 1940.

Nesse mesmo ano matriculou-se na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra.

O curso terminá-lo-ia em 14 de dezembro de 1949, com a classificação final de “BOM” (15 valores).

Tendo sido convidado para assistente da mesma Faculdade pelo Professor Doutor Gouveia Monteiro, declinou o convite.